Busca no Blog

Carregando...

domingo, 19 de setembro de 2010

A chuva e os caprinos na caatinga



A foto


Nesta fotografia  podemos observar um rebanho de caprinos no alto de um penhasco.  A fotografia foi obtida no dia 21 de janeiro de 2004 na Comunidade de Alto do Angico no município de Petrolina, PE.

O fato

Quando chove muito na caatinga, os caprinos procuram locais altos e abertos para fugir do excesso de umidade do solo e das plantas. Em anos de muita chuva, os animais que vivem soltos na caatinga, apresentam um elevado índice de mortandade. Segundo o ditado popular, “os animais ficam mufinos, tristes e cabisbaixos, não se alimentam e morrem”.  Embora a chuva seja sempre desejada pelos agricultores, quando não há veranicos ela se torna um problema para os criadores de caprinos. Em 2004 ocorreram chuvas muito além da normalidade em quase todo o Nordeste. No município de Petrolina, PE, foram 819,4 mm dos quais 686,6 foram registrados nos meses de janeiro e fevereiro. No mês de janeiro choveu 431 mm em 22 dias  e 255,6 no mês de fevereiro. Como essas chuvas concentraram em um período muito curto, o excesso de umidade na caatinga, prejudicou muito os criadores de caprinos. Assim, um ano que se pensava que seria bom em função das chuvas, terminou dando prejuízo para alguns agricultores com a morte de seus animais. Esses fatos poderiam ser evitados se nossos agricultores tivessem apriscos com condições de proteger os animais do excesso de umidade nos períodos de chuvas intensas, contudo haveria necessidade do armazenamento de ração para os animais durante todo o período de chuvas. Daí, o dilema dos criadores de caprinos da caatinga, quando chove muito alguns animais morrem de fome porque não conseguem se alimentar e quando chove pouco, muitos morre de fome pela falta de alimentos.

Um comentário:

Daniele disse...

a eu achei legal