Busca no Blog

Carregando...

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Aspectos da vegetação na caatinga em época de seca



A foto

Nestas fotografias podemos observar a floração do sete cascas após uma chuva na caatinga e uma planta de imbuzeiro sem folhas. As fotografias foram obtidas no município de Petrolina, PE.





O fato

A seca que está ocorrendo na região semiárida do Nordeste neste ano de 2012 tem causado graves problemas para a população da zona rural, principalmente para os pequenos agricultores que tem seu sustento na criação de animais como os caprinos, ovinos e bovinos. Em algumas áreas do Sertão, choveu até hoje 31 de maio de 2012 somente 130 mm. Esse volume é tão pouco que não representa a média das chuvas para região no mês de fevereiro. Todavia, as plantas da caatinga, mesmo enfrentado uma das piores irregularidades de chuvas nos últimos 30 anos, ainda conseguem apresentar belos espetáculos com suas diferentes fases fenológicas que vai da senescência foliar a floração fora de época. O caso marcante é o imbuzeiro. Em função da seca, muitas plantas já estão sem folhas. Essa fase de dormência vegetativa pode perdurar por até 45 dias, quando surgem as primeiras flores da nova safra. Assim, quem sabe se o imbuzeiro não está preparando-se para chuvas nos meses de setembro e outubro. Outra planta que apresenta um comportamento irregular é o sete cascas (Tabebuia spongiosa). A floração do sete cascas normalmente ocorre quando caem as primeiras chuvas no período de seca que vai de agosto a dezembro. Logo após as primeiras trovoadas no sertão nordestino, pode-se observar os locais onde a chuva caiu pelo surgimento da floração do sete cascas. Esta planta é de uma beleza ímpar. Suas flores amarelas mudam o cenário de seca para uma paisagem de alegria e beleza. As flores são visitadas por abelhas e pássaros que contribuem para sua polinização. O curioso neste momento é que o sete cascas já havia florado no verão de 2011, más com as irregularidades das chuvas até o momento, essas plantas emitiram nova floração com uma chuva de 28 mm que ocorreu no dia 25 de maio. Assim, ainda temos muito que aprender com a natureza do Sertão nordestino e o comportamento das plantas e dos animais diante dos eventos severos como a seca são fontes de sabedoria.

Um comentário:

Anônimo disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaadoooooooorrrrrei