Busca no Blog

Carregando...

domingo, 14 de abril de 2013

As plantas da caatinga e a seca no Sertão do Nordeste



As fotos

Nestas fotografias podemos observar uma planta de imbuzeiro e de juazeiro com suas folhas verdes. Uma planta de mandacaru com flores e frutos. As fotografias foram obtidas no município de Petrolina, PE.





Os fatos

A seca que afeta a região semiárida do Nordeste neste momento, tem apresentando características diferentes de outras secas que já ocorreram na região. Há localidades onde as chuvas têm ocorrido em quantidade suficiente para a formação de água e pastagem para os animais e outras onde os agricultores conseguiram planta e estão colhendo um pouco de feijão. Contudo, a maior parte da região semiárida esta enfrentada uma seca sem precedentes, onde falta água e alimentos para os rebanhos locais. O grande diferencial é que a água para o consumo humano tem sido fornecida, embora irregular, pelos carros-pipas. No Sertão de Pernambuco segundo a APAC (Agência Pernambucana de Água e Clima), no mês de janeiro os municípios onde foram registrados os maiores volumes acumulados foram: Moreilândia (277,0 mm), Araripina (227,0 mm), Ouricuri (199,0 mm), Exu (186,2 mm), Iguaraci (164,7 mm), Santa Cruz da Venerada (152,7 mm), Ipubi (152,0 mm), Bodocó (147,4 mm) e Afrânio (145,2 mm). No mês de fevereiro as maiores chuvas foram registradas em: Exu (69,6 mm), Araripina (57,0 mm), Santa Cruz da Baixa Verde (42,0 mm), Triunfo (34,3 mm) e São José do Egito (33,3 mm). No mês de março as maiores precipitações, foram observadas em: Araripina (174,0 mm), Quixaba (154 mm), Afogados da Ingazeira (132 mm) e Santa Teresinha (117, o mm). No mês de abril, até o momento, as maiores precipitações no Sertão foram observadas nos municípios de Araripina (23,0 mm); Moreilândia (13,0 mm); Ouricuri (46,6 mm); Exu (31,6 mm); Afrânio (112,5 mm). Como se pode observar, em alguns municípios do Sertão os volumes de chuvas são significativos, embora a seca ainda esteja causando danos severos para a agricultura e pecuária da região. No Sertão do São Francisco, especificamente no município de Petrolina, PE, até o momento choveu somente 119,2 mm, sendo 92 5 mm no mês de janeiro. Essa situação está configurando um novo panorama no Sertão, onde a vegetação começa a se representada pelas plantas nativas que tem suportado a seca como o imbuzeiro, o juazeiro, a baraúna, o mandacaru, entre outras. Para os criadores de animais do Sertão, principalmente os criadores de bovinos, é hora de sentar, pensar e planejar o futuro de seus empreendimentos neste novo cenário nordestino.

2 comentários:

Anônimo disse...

Faltou mais fotos da Caatinga !!!

Newton Silva disse...

Olá Dr. Nilton. Seu blog sobre o sertão é maravilhoso e excelente fonte de informação sobre a caatinga. Encontrei quando procurava informações sobre a Imburana. Sou escritor cearense, aqui de Fortaleza e toda sexta escrevo uma crônica. Em minhas crônicas, os temas quase sempre são sobre histórias do sertão. Hoje escrevi sobre a BOTIJA DA IMBURANA e ilustrei com uma foto sua e coloquei os devidos créditos. Caso queira conhecer meu blog acesse: http://calamus-scribae.blogspot.com.br/