Busca no Blog

Carregando...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Chuvas e enchentes no Sertão de Pernambuco

As fotos
Nestas fotografias podemos observar grande volume de água escoando em riachos da caatinga. As fotografias foram obtidas no município de Petrolina, PE.








Os fatos



Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima – APAC, a previsão para o trimestre janeiro-fevereiro-março de 2016 em Pernambuco era a seguinte: “A previsão para o próximo trimestre é de chuvas abaixo da média em todas as regiões do estado de Pernambuco, principalmente para o Sertão, que terá a sua quadra chuvosa prejudicada, isto também acarreta temperaturas acima da média. Essa situação é consequência da subsidência do ar devido ao fenômeno El Niño. Portanto, recomenda-se o acompanhamento diário das previsões do tempo realizadas pela APAC e as emissões de relatórios e informes com a situação para todo o estado”. Essa previsão foi de água a baixo. O inicio de 2016 vem com um bom começo para a região do Sertão de Pernambuco com a ocorrência de chuvas em vários municípios. No município de Petrolina, PE o ano de 2015 fechou com um total de 296,7 mm. Considerando que nossa média em uma série de 34 anos de 1982 a 2014 é de 515,4 mm. Esse total está abaixo da média. Em 2012 choveu um total de 147,5 mm, seguido por 2013 com 351,7 mm e 2014 com 354,4 mm. Como sempre ocorrem chuvas ate o final de dezembro, a esperança dos sertanejos ainda permaneceu.  Dezembro de 2015 choveu um total de 41,7 mm. Essas chuvas embora em volume pequeno deram início a mudança na região com o surgimento de uma nova cobertura vegetal na caatinga. Neste começo de ano tivemos até o momento 10 eventos de chuvas com um total de 233,1 mm.  Quase tudo que choveu em 2015. No dia 6 de janeiro de 2016 chuvas significativas em vários municípios da região do Sertão de Pernambuco. Em Petrolina, choveu 34,4 mm. Em Orocó choveu 42,6 mm. Em Cabrobó choveu 36,8 mm e em Lagoa Grande um total de 25,8 mm. No dia 8 de janeiro de 2016 foram registrados 170 mm no município de Verdejante na Mesorregião do Sertão de Pernambuco. Esse volume é muito significativo para o mês de janeiro, considerado de pouca chuva na região. Segundo dados do  monitoramento da chuva no Campo Experimental de Bebedouro no município de Petrolina, PE que teve início em 1963, divulgados pela Dra. Magna Soelma B. de Moura, os totais pluviométricos do mês de janeiro do período de 1963 a 2016 demonstram que há uma grande probabilidade que o mês de janeiro ocorram chuvas significativas na região. Embora existam anos em que não foram verificadas chuvas no mês de janeiro, em outros como 2004 o total de janeiro alcançou valores igual a 451,3 mm. Somente em cinco anos (1985, 1992, 2002, 2004 e 2016) a chuva acumulada no mês de janeiro foi superior a 200 mm. Até a presente data, o mês de janeiro já contabiliza 215,6 mm, destacando-se como o quarto mais chuvoso desde que se realiza o monitoramento no Campo Experimental de Bebedouro. No Campo Experimental da Caatinga no mês de janeiro as chuvas foram distribuídas assim: no dia 5 de janeiro choveu 2,0 mm; no dia 7 choveu 57,5 mm; no dia 8 choveu 37,4 mm; no dia 9 choveu 1,5 mm; no dia 14 choveu 3,5 mm; no dia 16 choveu 7,5 mm; no dia 17 choveu 6,0 mm; no dia 18 choveu 9,7 mm; no dia 21 choveu 12,5 mm e no dia 22 um total de 95,5 mm, totalizando 233,1 mm até o presente.

Nenhum comentário: