Busca no Blog

Carregando...

sábado, 7 de abril de 2007

Detalhes dos xilopódios do imbuzeiro


A foto

Nesta foto podemos observar os detalhes da disposição dos xilopódios em uma planta de imbuzeiro. Para obtermos esta fotografia, foi realizado um trabalho de retirada de todo o solo na área de um metro quadrado. A foto é de uma planta localizada na comunidade de Alto do Angico no município de Petrolina, PE no ano de 2004.

O fato

Os xilopódios do imbuzeiro são raízes modificadas compostas de reservas nutritivas que as plantas utilizam no período de dormência vegetativa e na estiagem para sua sobrevivência. Há uma grande variabilidade entre as plantas quanto o número de xilopódios, apresentando uma variação de 46 xilopódios para plantas com 2 a 3 anos de idade até 2.075 túberas para planta com idade estimada de 70 a 100 anos. O que temos observado nos trabalhos é que o número de xilopódios vai aumentando com a idade da planta, contudo, em plantas muito velhas, há uma redução significativa do número de xilopódios. Este fato pode ocorrer devido o maior desenvolvimento do sistema radicular destas plantas. Os xilopódios são utilizados pelos agricultores para alimentação dos animais na seca, para produção de doce e muitas vezes como alimento na caatinga. Na história os xilopódios tem sido muito relatado, principalmente no Livro " Os sertões" que relata a querra de Canudos. Neste livro, Euclides da Cunha diz que"... Os soldados famintos, cavavam os imbuzeiros em redor, arrancando-lhes os tubérculos para iludir a fome e a sede" .... "...Na época da guerra, uma raiz de imbu valia ouro, muitos soldados trocavam partes de seus armamentos por cucas de imbuzeiro". Na remoção dos doentes e feridos da Quarta Expedição comandada pelo General Cláudio do Amaral Savaget em 1896 para Monte Santo, a fome e a sede dos soldados era aliviada pelos tubérculos dos imbuzeiros.


Nenhum comentário: