Busca no Blog

Carregando...

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

O dilema dos espinhos do mandacaru no Sertão


As fotos

Nestas fotografias, podemos observar as diversas formas que os agricultores utilizam para retirar os espinhos do mandacaru antes de ofertá-lo aos animais. As fotos foram obtidas nos municípios de Lagoa Grande, PE e Riachão do Jacuípe, BA. 










Os fatos

O mandacaru é uma das últimas alternativas que os pequenos agricultores do Sertão do Nordeste utilizam para salvar seus animais em períodos de seca severa. Embora o mandacaru seja uma das cactáceas mais utilizadas pelos agricultores, os espinhos ainda são problemas para muitos animais. Tradicionalmente os espinhos são queimados antes de o mandacaru ser ofertado para os animais, contudo, muitos agricultores cortam a parte dos espinhos antes de alimentar os animais com o mandacaru. Em algumas comunidades as máquinas forrageiras têm sido utilizadas para triturar o mandacaru. Essa opção embora melhore a textura do mandacaru, ainda deixa a base dos espinhos em condições de causar danos aos animais. Procurando resolver esse problema já foram desenvolvidas várias pesquisas que resultaram na criação de uma máquina para  processamento do mandacaru. Essa máquina consiste em um conjunto de serras semicirculares,  autoajustáveis, para permitir a passagem de caules de mandacaru com diâmetros variados.  A máquina retira os es­pinhos com perda mínima de mas­sa verde. Após a retirada dos espinhos, o mandacaru deve ser processado numa máquina forrageira comum e está pronto para o consumo dos animais. Embora essa alternativa seja boa, seu custo pode inviabilizar sua utilização pelos pequenos agricultores, visto que, são duas máquinas que devem ser compradas.

Nenhum comentário: