Busca no Blog

Carregando...

sábado, 3 de abril de 2010

A alimentação do caititu na caatinga

-->

A foto

Nesta fotografia pode observar um caititu em cativeiro.  A fotografia foi obtida em 8 de maio de 2003 na comunidade de Nova Descoberta no município de Petrolina, PE.

O fato

O caititu (Tayassu tajacu) que é encontrado na caatinga do Nordeste é uma das três espécies de pecaris existentes no Brasil. São semelhantes aos porcos domésticos, por isso são também chamados de porcos do mato. A principal diferença dos porcos verdadeiros são seus caninos pequenos. Quando estão ameaçados, batem os dentes como mecanismo de defesa fazendo um grande barulho. O caititu das caatingas do Nordeste se alimenta, principalmente de raízes, tubérculos e sementes. Nos períodos de seca severa nessa região a falta de frutas nativas, leva os animais a consumirem raízes de plantas, tais como, a raiz da maniçoba, da faveleira, e do caroá, etc. Em um trabalho de pesquisa que estamos realizado, são identificadas as fontes de alimentos de um bando de caititus em uma área de caatinga nativa da Embrapa Semiárido. O trabalho consiste no levantamento das plantas que apresentam partes consumidas pelos caititus em diferentes períodos do ano. Os resultados preliminares demonstraram que no período de janeiro a abril quando ocorrem chuvas na região, a base da dieta dos caititus são os frutos do imbuzeiro caídos ao chão e as raízes da maniçoba. No período de maio a agosto, as raízes da faveleira e do caroá são as mais consumidas pelos caititus. De agosto a dezembro, a raiz do caroá é a principal fonte de alimentação dos caititus. Em cada período de avaliação são coletadas fezes dos animais para análise dos restos das partes das plantas consumidas.

Um comentário:

jv alkmim de oliveira junior disse...

Quando eu era criança e tinha uns 12 anos meu avô falava muito sobre os caititu mas que tinha desaparecido da região devido a caçadores, hoje tenho 27 anos e só agora eles estão aparecendo de novo e já existe um bom número pois já me deparei com dois grupos de no minimo 50 indivíduos.Estamos localizados na região do Sul do oeste baiano temos uma fazenda que fica a margens do RIO Carinhanha onde é umas das poucas preservadas na região devido desmatamento para produzir o carvão resta pouca mata virgem, pois ouvir fala q este animal é encontrado apenas onde a mata esta preservada mas temo muito porque é o único lugar de q restou não vejo falar que exista mais deles por aqui, e caça ilegal aqui é constante pelo fato de não existir fiscalização